Archive for abril \30\UTC 2010

h1

Turma mágica

abril 30, 2010

A redação da Placar tem uma magia quase inexplicável.

Talvez seja o tema agradável, essa paixão nacional que é o futebol, talvez seja o local de trabalho ou outros pequenos detalhes.

Certamente é tudo isso. Mas, principalmente, são as pessoas.

Para resumir o que um clima bom pra burro provoca, e quase entregar a fórmula mágica, Divino Fonseca, jornalista dos bons, correspondente eterno de Placar no Rio Grande do Sul, recebeu uma proposta para trocar a redação.

Sairia da Placar para a Quatro Rodas, com valorização financeira e demais benefícios. Um salto na carreira, sem dúvida. Mas, elegantemente, Divino respondeu que não aceitava. Preferia ficar com a “turma” dele.

Essa não sabíamos, mas o Serginho Xavier, diretor de redação da Placar, contou na noite de quarta-feira 28 no bate-papo da Livraria da Vila.

É simplesmente isso. A “turma” da Placar, que não é trabalho, não é obrigação, não é esforço.

Ou melhor, parece que não é.

Porque estar com a turma é uma diversão.

h1

Jornal da CBN

abril 16, 2010

ReproduçãoOuça a entrevista de Márcio Kroehn para o jornalista Heródoto Barbeiro, da rádio CBN, clicando aqui.

h1

Edição do mês

abril 12, 2010
Divulgação

O jornalista Ricardo Perrone observa Pelé e Neymar nos bastidores da edição comemorativa de 40 anos de Placar

A edição de abril de Placar, que está nas bancas, é especial.

A revista está recheada de boas histórias sobre os seus 40 anos de existência.

É a edição de aniversário, com muitas e muitas páginas para quem gosta de história.

A capa é ousada: o Rei do Futebol e seu candidato a súdito, Neymar. Uma aposta que pode, daqui a alguns anos, ser elogiadíssima por ter antecipado um reinado. Mas também pode cair no esquecimento se o príncipe não assumir o trono.

Acreditamos que é melhor ser ousado que recatado. Como é e sempre foi Placar. Por isso uma edição da foto deste post está no livro.

Sobre a revista em comemoração aos 40 anos, quem gosta de futebol, de esporte e da revista não deve perder. É histórica.

h1

CBN Esporte

abril 10, 2010

ReproduçãoOuça o bate-papo entre Márcio Kroehn e o jornalista Carlos Eduardo Eboli, da rádio CBN, clicando aqui.

O programa CBN Esporte foi ao ar no domingo de Páscoa, 4 de abril.

h1

Loucos por futebol – o vídeo

abril 9, 2010

ReproduçãoPara quem tem curiosidade de assistir a nossa gravação no Loucos por Futebol, da ESPN Brasil,  aqui está o link: 

http://www.youtube.com/watch?v=LNgnLyOlhOM

 

h1

Sorte grande

abril 6, 2010

ReproduçãoFui surpreendido no domingo de Páscoa.

E não foram com cestas de ovos de chocolate.

Recebi a moedinha do Pelé na Placar.

Não há quem não fale dela, não há quem não queira uma.

A minha chegou pelas mãos carinhosas de meu pai.

Ele olhava, xeretava e vasculhava a feirinha do Masp, na avenida Paulista, quando se deparou com a relíquia.

Firmou o olho, observou a origem, checou os detalhes e viu um cuidadoso exemplar, que vinha no embrulho que acompanhava a edição número 1 de Placar em março de 1970.

A ideia de Victor Civita, o fundador da Abril, de reproduzir o símbolo da sorte do Universo Disney para o mundo esportivo, que depois salvou os jornalistas placarianos em muitas ocasiões (essas histórias são ótimas e estão em destaque no livro), agora faz parte da minha história com a Placar.

Nesse presente, só tenho que elogiar meu velho, que deve ter pegado emprestado a persistência dos repórteres da Placar para achar a moedinha.

E ajuda de pai, como falou o Unzelte abaixo, vale ouro.

 Márcio Kroehn

h1

Apaixonado entendedor 1

abril 5, 2010

Reprodução Niels Andreas/BrasileirosEles entendem e são apaixonados por futebol. E ainda por cima decoram.

Esta é maneira como Anjinho, como é conhecido o histórico diretor de arte de Placar Walter Mazzuchelli, define a dupla Celso Unzelte e Paulo Vinícius Coelho, o PVC.

Hoje vamos falar de Unzelte, que torce mais para o Corinthians do que para a seleção brasileira e é um dos maiores historiadores do futebol brasileiro – sem exagero.

Unzelte foi quem aguentou a fúria dos leitores quando Placar semanal acabou em 1990. Ele atendia às ligações e, ao invés de botar panos quentes, aumentava a indignação dos leitores concordando e pedindo a volta da periodicidade semanal.

Aquela fase passou, ele ficou na fase mensal de Placar e foi acumulando histórias. A tal ponto que hoje é professor de jornalismo da Faculdade Cásper Líbero e tem uma coleção apreciável de revistas sobre esporte. Na sua estante, exemplares que começam antes da Segunda Guerra Mundial, como a Esporte Ilustrado (de 1938 a 55), a revista do Esporte (de 1959 e 60), a Gazeta Esportiva Ilustrada (de 1953 a 67) e toda a Placar, que foi conseguida assim:

– Fazia a seção de Cartas de Placar e chegou uma correspondência de um senhor de Leme, no interior de São Paulo, querendo vender a coleção da revista. A intenção dele era anunciar em busca de interessados. Pensei: ‘essa eu não vou anunciar, não. Essa eu vou buscar na casa dele’. E foi assim. Fui no sábado até lá, com o meu pai, e enchemos o porta-malas do carro de revistas Placar. Voltei de Leme com a coleção inteira, que depois encadernei. Tenho desde a primeira edição, inclusive a moedinha do Pelé, que veio na número 1. Este foi um presente do Lemyr Martins pra mim, conta esse louco por futebol.

Unzelte é apaixonado e entendedor, não tem como negar.