h1

Pelé, 70

outubro 23, 2010

ReproduçãoVida longa à Sua Majestade, Pelé.

Hoje, 23 de outubro, o Rei completa 70 anos.

E Pelé é parte importante da história de Placar. A revista fora criada no final da carreira do maior jogador de futebol de todos os tempos, mas isso foi o de menos.

Nos 40 anos de Placar, Pelé esteve presente anualmente nas páginas da revista. E, mais importante, foi destaque em todas as edições históricas.

Por exemplo. Pelé deveria ter sido a imagem da capa da primeira edição, em março de 1970, sozinho e absoluto. Mas no final das contas, ele dividiu o espaço, com toda a fidalguia, com um furo de reportagem da revista, que já mostrava o que ela pretendia ser no universo esportivo – combativa, sem se curvar ao opressor para mostrar o traseiro aos oprimidos, como diz Millôr Fernandes.

Um ciclo do 1 ao 1000. Quem tinha sido a foto da primera edição, seria também a da milésima.

Na edição comemorativa, o Rei do Futebol apareceu segurando uma bola branca, com os números 1000 em vermelho colados com fita adesiva. O improviso não incomodou Pelé, que se divertiu com a sessão de fotos e pediu a bola de presente para guardar em sua coleção particular.

Parece algo muito simples e comum para quem “guardou” mais de 1.284 gols.

Mas é a essa aura tão especial de Pelé que o torna absoluto. A ponto de o diretor de redação de Placar, Anjinho, dizer que “nunca viu uma foto ruim do Rei”.

Essa magia dele também esteve presente na reportagem de Kátia Perin sobre o primeiro time de Pelé, o Bauru Atlético Clube, mais conhecido como Baquinho. Com uma foto histórica em mãos, em preto-e-branco, a repórter foi contando a história de cada um dos meninos que haviam jogado com o Rei no anonimato. Para fechar, uma entrevista com Pelé, que se emocionou com a vida de todos os seus antigos amigos.

Pelé também vestiu a camisa das Diretas Já em Placar e a camisa do time da revista, verde e preta, quando estava prestes a completar 1.000 jogos. A camisa da pelada dos jornalistas, com o nome Placar costurado pelas mãos da esposa de Lemyr Martins, foi uma das poucas que o Rei vestiu para entrar em campo já como profissional, além de Santos, Cosmos e Seleção Brasileira.

Na edição comemorativa de 40 anos, que foi às bancas em abril de 2010, lá estava Pelé ao lado de Neymar, tão garoto quanto a jovem revelação santista. 

Por hoje e por tudo, um brinde ao camisa 10 mais famoso do Planeta Bola.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: