Archive for the ‘Pelé’ Category

h1

Pelé, 70

outubro 23, 2010

ReproduçãoVida longa à Sua Majestade, Pelé.

Hoje, 23 de outubro, o Rei completa 70 anos.

E Pelé é parte importante da história de Placar. A revista fora criada no final da carreira do maior jogador de futebol de todos os tempos, mas isso foi o de menos.

Nos 40 anos de Placar, Pelé esteve presente anualmente nas páginas da revista. E, mais importante, foi destaque em todas as edições históricas.

Por exemplo. Pelé deveria ter sido a imagem da capa da primeira edição, em março de 1970, sozinho e absoluto. Mas no final das contas, ele dividiu o espaço, com toda a fidalguia, com um furo de reportagem da revista, que já mostrava o que ela pretendia ser no universo esportivo – combativa, sem se curvar ao opressor para mostrar o traseiro aos oprimidos, como diz Millôr Fernandes.

Um ciclo do 1 ao 1000. Quem tinha sido a foto da primera edição, seria também a da milésima.

Na edição comemorativa, o Rei do Futebol apareceu segurando uma bola branca, com os números 1000 em vermelho colados com fita adesiva. O improviso não incomodou Pelé, que se divertiu com a sessão de fotos e pediu a bola de presente para guardar em sua coleção particular.

Parece algo muito simples e comum para quem “guardou” mais de 1.284 gols.

Mas é a essa aura tão especial de Pelé que o torna absoluto. A ponto de o diretor de redação de Placar, Anjinho, dizer que “nunca viu uma foto ruim do Rei”.

Essa magia dele também esteve presente na reportagem de Kátia Perin sobre o primeiro time de Pelé, o Bauru Atlético Clube, mais conhecido como Baquinho. Com uma foto histórica em mãos, em preto-e-branco, a repórter foi contando a história de cada um dos meninos que haviam jogado com o Rei no anonimato. Para fechar, uma entrevista com Pelé, que se emocionou com a vida de todos os seus antigos amigos.

Pelé também vestiu a camisa das Diretas Já em Placar e a camisa do time da revista, verde e preta, quando estava prestes a completar 1.000 jogos. A camisa da pelada dos jornalistas, com o nome Placar costurado pelas mãos da esposa de Lemyr Martins, foi uma das poucas que o Rei vestiu para entrar em campo já como profissional, além de Santos, Cosmos e Seleção Brasileira.

Na edição comemorativa de 40 anos, que foi às bancas em abril de 2010, lá estava Pelé ao lado de Neymar, tão garoto quanto a jovem revelação santista. 

Por hoje e por tudo, um brinde ao camisa 10 mais famoso do Planeta Bola.

h1

Edição do mês

abril 12, 2010
Divulgação

O jornalista Ricardo Perrone observa Pelé e Neymar nos bastidores da edição comemorativa de 40 anos de Placar

A edição de abril de Placar, que está nas bancas, é especial.

A revista está recheada de boas histórias sobre os seus 40 anos de existência.

É a edição de aniversário, com muitas e muitas páginas para quem gosta de história.

A capa é ousada: o Rei do Futebol e seu candidato a súdito, Neymar. Uma aposta que pode, daqui a alguns anos, ser elogiadíssima por ter antecipado um reinado. Mas também pode cair no esquecimento se o príncipe não assumir o trono.

Acreditamos que é melhor ser ousado que recatado. Como é e sempre foi Placar. Por isso uma edição da foto deste post está no livro.

Sobre a revista em comemoração aos 40 anos, quem gosta de futebol, de esporte e da revista não deve perder. É histórica.

h1

Sorte grande

abril 6, 2010

ReproduçãoFui surpreendido no domingo de Páscoa.

E não foram com cestas de ovos de chocolate.

Recebi a moedinha do Pelé na Placar.

Não há quem não fale dela, não há quem não queira uma.

A minha chegou pelas mãos carinhosas de meu pai.

Ele olhava, xeretava e vasculhava a feirinha do Masp, na avenida Paulista, quando se deparou com a relíquia.

Firmou o olho, observou a origem, checou os detalhes e viu um cuidadoso exemplar, que vinha no embrulho que acompanhava a edição número 1 de Placar em março de 1970.

A ideia de Victor Civita, o fundador da Abril, de reproduzir o símbolo da sorte do Universo Disney para o mundo esportivo, que depois salvou os jornalistas placarianos em muitas ocasiões (essas histórias são ótimas e estão em destaque no livro), agora faz parte da minha história com a Placar.

Nesse presente, só tenho que elogiar meu velho, que deve ter pegado emprestado a persistência dos repórteres da Placar para achar a moedinha.

E ajuda de pai, como falou o Unzelte abaixo, vale ouro.

 Márcio Kroehn

h1

Dez

março 10, 2010

PeléPlacar nasceu a tempo de escrever sobre Pelé no tricampeonato mundial da Seleção em 1970.

Depois disso, o Rei foi aos poucos deixando a Seleção e o futebol.

A revista não pegou o auge dele, mas soube explorar a Sua Majestade.

Pelé esteve presente em diversos momentos importante de Placar, como nas capas da Placar Todos os Esportes (tentativa de ser a Sports Illustrated brasileira) e no início da fase mensal, em 1990, com uma edição sobre os seus 50 anos. E, claro, na milésima edição. 

O diretor de arte Walter Mazzuchelli (Anjinho para os íntimos e desconhecidos) descreve a simpatia do maior jogador de futebol de todos os tempos:

– Fiz a bola com o 1000. Era em papel colado. Fotografamos o Pelé no hotel Macksoud, em São Paulo. Ele é uma pessoa fora de série, que sabe tudo dentro de campo e fora dele. Ele conversava com todos, fazia pose com a bola na mão, tudo isso ao mesmo tempo. No final, ele falava: ‘eu quero essa bola, eu preciso dela. Quero guardar’. Gênio, né?! Uma coisa tão simples que ele deu um grande valor.

É por essas e (muitas) outras que Pelé estará na edição superespecial dos 40 anos de Placar, em abril próximo, que ainda vai chegar nas bancas. Aguardem!

h1

Fabuloso mundial

março 9, 2010

Arquivo Pessoal Juca Kfouri

Carlos Maranhão, Marcelo Rezende e Juca Kfouri (da esq. para a dir.) são observados pelo imenso cartaz de Pelé na Copa do Mundo de 1982. A Espanha estava pintada de verde e amarelo, mas Placar teve que escrever a história dos derrotados